Search

Principais materiais utilizados na estrutura dos candeeiros Solarlightek

Os nossos candeeiros, talvez já saiba que, estruturalmente, são constituídos (principalmente) por: policarbonato, vidro temperado e liga de alumínio (dependendo do modelo). E se não conhece as especificidades de cada um destes materiais, hoje explicamos-lhe para que possa também perceber um pouco mais a qualidade dos produtos Solarlightek. Para além disso, falamos-lhe também dos painéis fotovoltaicos que estão incorporados nos nossos candeeiros.


Policarbonato

O policarbonato foi descoberto por volta de 1900, pelo químico Alfred Einhorn, no entanto, este estudou o material durante 3 décadas e nunca conseguiu encontrar uma aplicação comercial para o mesmo. Em 1953, quando a Bayer e General Electric, começaram a produzir policarbonato, foi principalmente utilizado como substituto do vidro em pequenas superfícies. Foi apenas 70 anos depois da sua descoberta, que o policarbonato se tornou conhecido e passou a ser utilizado, por exemplo, em óculos ou faróis de automóveis.


O policarbonato é também conhecido como termoplástico. É composto por polímero e partículas de carbonatos. É um material durável, moldável, leve e bastante resistente. Uma das suas propriedades mais importantes é a sua enorme resistência ao impacto, acabando por ser substancialmente mais resistente que o vidro.


Vidro Temperado

vidro temperado distingue-se do vidro comum pelo facto de passar por um processo térmico, denominado têmpera (o vidro comum vai ao forno a mais de 600° transformando-se em vidro temperado, ficando 4 a 5 vezes mais resistente) para modificar as suas características permitindo que fique mais rígido e com maior resistência térmica.

As principais características do vidro temperado são então a sua grande resistência ao impacto, à flexão e às variações térmicas.







Liga de Alumínio

Liga de alumínio é a designação que se dá a qualquer liga metálica na qual o alumínio seja o metal predominante. Estas ligas podem ser constituídas exclusivamente de alumínio, ou a partir da mistura com outros metais como: cobre, magnésio, silício, manganês, zinco, ferro, lítio e titânio.


A aplicabilidade do alumínio é variadíssima, podendo ser utilizado na construção civil ou até mesmo em embalagens de alimentos. Um dos atributos mais importantes deste material é a sua leveza. Para além disso, não necessita de manutenção, apresenta uma durabilidade elevada, com boa resistência à corrosão e pode durar cerca de 40 anos sem perder as suas características, é um excelente refletor de luz e calor, sendo por isso, utilizado frequentemente em luzes. É um metal antimagnético e como não produz faíscas, é utilizado como proteção em equipamentos eletrónicos. Por fim, o alumínio é infinitamente reciclável fazendo deste um metal amigo do ambiente.


Painel Fotovoltaico Monocristalino e Painel Fotovoltaico Policristalino

Antes de mais, é importante destacar que os painéis fotovoltaicos monocristalinos e policristalinos desempenham as mesmas funções, uma vez que ambos utilizam a luz solar para produzir eletricidade. Outra semelhança entre os dois, relaciona-se com a estrutura, sendo o silício utilizado na produção de células fotovoltaicas. No entanto, o processo de produção destas células é diferente, afetando o desempenho e a durabilidade dos painéis.


Mas então como é composto um painel solar fotovoltaico e como funciona?

Como sabemos, o principal objetivo de um painel solar fotovoltaico é converter a energia solar em eletricidade. Mas sabe como funciona?


O painel solar é o equipamento essencial para conseguirmos gerar energia fotovoltaica. Este é composto por células fotovoltaicas constituídas por materiais semicondutores (com características intermédias entre um condutor e um isolador - o silício, por norma), que absorvem a luz do sol e geram energia elétrica pelo efeito fotovoltaico. Cada célula tem duas camada de material distinto, a camada positiva e a camada negativa, criando assim um campo eletromagnético.


O processo começa quando os fotões (raios do sol) atingem as células fotovoltaicas, fazendo com que os eletrões que cercam os átomos (que constituem as células) se soltem. Estes eletrões vão migrar, através da corrente elétrica, para a parte da célula de silício que tem poucos eletrões. Este processo vai sendo repetido e cria uma corrente elétrica ou também conhecida como energia solar fotovoltaica.


Painel Fotovoltaico Monocristalino

A tecnologia monocristalina é mais antiga e mais eficiente. Os painéis fotovoltaicos de silício monocristalino são facilmente reconhecíveis, dada a sua cor uniforme – que indica um silício de alta pureza – e cantos tipicamente arredondados.

Este tipo de painel é feito a partir de um único cristal de silício ultrapuro (lingotes de silício de forma cilíndrica), que é depois "fatiado" fazendo lâminas de silício individuais que são tratadas e transformadas em células fotovoltaicas.


As suas principais vantagens são:

  • Eficiência mais alta (entre 15 e 22%);

  • Ocupam menos espaço, uma vez que possuem maior eficiência precisam de menos espaço para gerar a mesma quantidade de energia;

  • Vida útil, maior que 30 anos;

  • São mais eficientes que os painéis fotovoltaicos policristalinos, em condições de pouca luz.

Como principais desvantagens temos:

  • O facto de serem mais caros que os painéis fotovoltaicos policristalinos.

Painel Fotovoltaico Policristalino (ver diferenças dos tipos de painéis)

Os primeiros painéis fotovoltaicos feitos à base de silício policristalino, surgiram no mercado no início da década de 80. Na tecnologia policristalina, os módulos policristalinos são feitos a partir de pequenos cristais de silício que são depois fundidos em bloco. Depois de serem fundidos, são serrados em blocos quadrados e fatiados em células, tal como o monocristalino, no entanto é um pouco mais simples de produzir.


Apesar de serem semelhantes ao monocristalino, tanto no desempenho como na degradação, a verdade é que as células do policristalino são ligeiramente menos eficientes.


Como principais vantagens, podemos referir:

  • O facto de existir uma menor quantidade residual de silício gerada durante o processo;

  • São painéis mais baratos que os monocristalinos;

  • Possuem uma vida útil maior que 30 anos.

No que diz respeito às desvantagens:

  • A eficiência destes painéis está entre os 14 e 20%, que se deve maioritariamente à menor pureza do polisilício;

  • Produz menos watts/hora por m2. Ou seja, normalmente é necessária uma área maior de painéis policristalinos para gerar a mesma quantidade de watts/m2 que o painel monocristalino.


O futuro chegou! Use a luz solar durante a noite, proteja o nosso planeta e reduza drasticamente o valor da sua fatura de eletricidade ao utilizar energia solar!